CENTRAL DO CLIENTE
Valorize a vida. Preserve células-tronco.

Um estudo de células-tronco no Estados Unidos

Uma esperança para quem sofre de doenças pulmonares crônicas

Células-tronco é uma esperança para quem sofre de doenças pulmonares crônicas.

Nos Estados Unidos, um grupo de pesquisadores encontrou células-tronco pulmonares, que podem ser cruciais para a regeneração dos tecidos do pulmão. A descoberta pode render, no futuro, novas opções de tratamento para quem sofre de doenças pulmonares crônicas ao regenerar áreas doentes do órgão, segundo um dos autores do estudo, Piero Anversa, diretor do Centro de Medicina Regenerativa do Hospital de Brigham and Women, em Boston, no estado de Massachusetts, afiliado à Universidade Harvard .

A pesquisa é inédita e foi apresentada na edição desta semana da revista médica “New England Journal of Medicine”, uma das mais prestigiadas dos EUA.

A equipe de Anversa estudou tecidos pulmonares retirados após cirurgias e conseguiu isolar as células-tronco, que se mostraram capazes de se dividir tanto em novas células-tronco, quanto em outras que formariam tecidos pulmonares. Isto significa uma opção de tratamento totalmente nova com possibilidade de regeneração e reparação do tecido pulmonar.

Essas células-tronco foram encontradas em amostras de tecidos adultos e em fetos. Segundo os pesquisadores, essas células estão presentes no corpo humano antes mesmo do nascimento. Para testar a eficácia de uma futura terapia, eles injetaram essas células-tronco em camundongos com danos pulmonares e viram a formação e integração estrutural de novos bronquíolos e alvéolos e vasos.

“Ainda é preciso pesquisar mais, mas estamos animados com o possível impacto que essa descoberta pode ter na nossa capacidade de regenerar ou recriar tecidos pulmonares em áreas doentes do pulmão,” disse em nota Joseph Loscalzo, co-autor da pesquisa.

Fonte: Do GI em São Paulo.

Comentário:

A Cordcell, através do seu centro de pesquisa, tem contribuído com o país no desenvolvimento de várias linhas de pesquisas na área da terapia celular, a nova área da medicina regenerativa, colocando-o no ranking dos países que pesquisam novos tratamentos com as células–tronco.

Assim, o Instituto de Pesquisa Cordcell dá início a sua mais nova e inédita pesquisa: Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica – DPOC. Na realidade já é um protocolo clínico, ou seja, uso em pacientes. Trata-se de um estudo com a terapia celular para pacientes com enfisema pulmonar, cuja infusão de células-tronco são do próprio paciente ( uso autólogo).

O enfisema pulmonar é uma doença de evolução lenta e progressiva, o que gera baixa qualidade de vida durante toda a sobrevida do paciente. A infusão das células-tronco tem apresentado resultados animadores, porém, esses estudos precisam ser concluídos.

A cada dia novas pesquisas têm trazido novas perspectivas de tratamento a pacientes para os quais a medicina convencional já não apresenta nenhuma chance de cura. Portanto, ter as células-tronco do sangue do cordão umbilical preservadas é sem dúvida ter a chance de inúmeras possibilidades de uso.

As células-tronco do cordão umbilical não são uma promessa de futuro, elas já são uma realidade consolidada no tratamento de mais de 80 doenças. Segundo a National Marrow Donner Program, que é um programa nacional de doadores de medula, existem quase outras 200 patologias ainda em estudos.

Diferente dos demais serviços de criogenia do país, a Cordcell garante o que faz, por isso, é um centro referenciado em terapia celular, que oferece uma moderna técnica em preservação celular, conhecimento, know how, experiência e atualização nos novos tratamentos com células-tronco.

Valdir de Almeida Camillo.
Valdir de Almeida Camillo
Médico Obstetra
Diretor Médico da CordCell